Maria Teresa

Maria Teresa, minha amiga dileta
Hoje é o dia do seu aniversário!
Desejo para ti a felicidade completa
Tudo a favor, nada ao contrário.
Teresa, você é como o bom vinho
Que com o tempo só melhora
Sempre atenta ao bom caminho
Amiga certa da incerta hora.
Tetê, parabéns a você
Neste dia
Em que tua Santa mãezinha te trouxe
Sabes que em mim tens um grande amigo
E os amigos por certo com alegria
Celebram teu jeito terno e doce.
Deus, para sempre, esteja contigo!

Anúncios

Calmaria

A natureza não está nem está aí para as tuas atribulações

As ondas nem sabem que tu existes

O céu azul está preocupadíssimo com o teu estado de saúde

Acredito mesmo que dos altos coqueiros da praia o máximo que conseguirás será um pouco de sombra e talvez uma fratura com afundamento craniano se algum dos cocos tua cabeça atingir.

As nuvens distantes estão se lixando para ti.

Portanto, renuncias por hoje aos teus anseios poéticos, tomas um chá gelado e vais dormir .

Shopping

Deixar-se guiar a esmo

Como um ramo de algas

A boiar nas calmas marolas

De um tranquilo e morno mar

Caminhar sem rumo

Pelas alamedas indigestas

Do enfastioso shoping

E tentar dar um momentâneo

Sentido à uma vida

Que não vê mais sentido

Em sentir prazer no que oferece

Esse faustoso e inútil

Templo pagão do desenfreado

E viciante consumo

Da ilusão do bem estar

Catedral alienante

Indutora e mantenedora

Da insaciável e alucinante

Busca pela inalcançável felicidade.

A chuva

Cai a chuva
Incessante
Nas biqueiras do quintal
Cai a chuva
Irritante
Pelas ruas de Natal.
Cai a chuva
Inclemente
Soterrando os barracos
Cai a chuva
Persistente
Transformando tudo em cacos.
Cai a chuva
Destruindo
A paz de quem está dormindo
Cai a chuva
Esmagando
O velhinho que vai passando.
Cai a chuva
Assistindo
A criança se afogando
Cai a chuva
Insistindo
Cai a chuva
E vai caindo.

Edmar Claudio

A mosca azul

Eu nunca amei Anouk Aymé!
Mas amava a nouvelle vague
Nos cahiers du cinéma.
A liberdade estava na França!
Aqui prendiam a esperança
E o povo só podia falar
De carnaval e futebol.
Neo-modernismo
Antonioni, De Sicca, Fellini…
Mastroianni e Sofia…
Ciúmes de Monica Vitti.
Pedaços de celulóides
Na cesta de lixo do Cine Santo Antônio.
Canal 100:
Pam-panran-paran-pan-pannnnnnnnn-pam!
Banho tomado, roupinha limpa
Chicletes e pipocas.
A realidade era o filme
Da sessão vespertina dos sábados!

Edmar Claudio