Bala perdida

Bala perdida

Que cruza esta rua tão dorida

Atravessa, também, os lares

E trespassa, de súbito, a vida…

Bala perdida

Que na via silvando anuncia

O temor da insegurança…

O pânico das manhãs!

As balas são mensageiras

De uma morte anunciada…

As balas que são perdidas

Não deviam ser achadas!

Edmar Claudio
Anúncios

A chuva

Cai a chuva
Incessante
Nas biqueiras do quintal
Cai a chuva
Irritante
Pelas ruas de Natal.
Cai a chuva
Inclemente
Soterrando os barracos
Cai a chuva
Persistente
Transformando tudo em cacos.
Cai a chuva
Destruindo
A paz de quem está dormindo
Cai a chuva
Esmagando
O velhinho que vai passando.
Cai a chuva
Assistindo
A criança se afogando
Cai a chuva
Insistindo
Cai a chuva
E vai caindo.

Edmar Claudio

A mosca azul

Eu nunca amei Anouk Aymé!
Mas amava a nouvelle vague
Nos cahiers du cinéma.
A liberdade estava na França!
Aqui prendiam a esperança
E o povo só podia falar
De carnaval e futebol.
Neo-modernismo
Antonioni, De Sicca, Fellini…
Mastroianni e Sofia…
Ciúmes de Monica Vitti.
Pedaços de celulóides
Na cesta de lixo do Cine Santo Antônio.
Canal 100:
Pam-panran-paran-pan-pannnnnnnnn-pam!
Banho tomado, roupinha limpa
Chicletes e pipocas.
A realidade era o filme
Da sessão vespertina dos sábados!

Edmar Claudio

Fanatismo

Triste de um país cujo destino e rumo
Depende só do aprumo dos pés de uns poucos
Triste da nação que enlutada em fumo
Deixa-se levar nas idéias de loucos

Os deuses castigarão a frenética massa
Que transformou em mágico reles tapado
Desmascarando a farsa e a trapaça
De quem manipulou o que estava errado.

Pobres homens de vidas abjetas
Pelo poder usados quais bezerros
Em ruínas para sempre o destino afetas
De quem se deixou levar pelos teus erros
E por teu pretenso êxito traçou metas
Se condenando ao fracasso e desterros.

Edmar Claudio

Você tem o direito!

Você tem o direito de nascer pobre e morrer irremediado.
Você tem o direito de ficar nanico, subnutrido, queimando os seus chips cerebrais antes dos dois anos de idade.
Você tem o direito de estudar em escolas públicas… se tiver vagas e professores!
Você tem o direito de arranjar um subemprego para ajudar nos gastos da subsistência familiar.
Você tem o direito de morrer atropelado em qualquer dia da semana.
Opcionalmente, ainda dentro do seu direito, pode ser escolhida outras formas de falecimentos, tais como: vítimade assalto à mão armada, bala perdida ou faca perdida
Você tem o direito de reclamar baixinho que é pra ninguém se incomodar.
Você tem o direito de optar entre a fome e a honra, a retidão de caráter e a propina, o não sincero e o sim interesseiro e servil.
Opte entre o orgulho e o amor próprio. A bajulação e o puxa-saquismo não são sinônimos de lealdade. Escolha entre ser alguém ou ser o capacho alheio. Não fique à sombra, mas não faça sombra à ninguém.

Edmar Claudio

Eu, criança!

Bebo a vida! Bebo à vida!
Vou celebrar a criança
Que vive em mim protegida
Bailando passos de dança.

É ela quem me amansa
Quando a dor me apoquenta
É ela quem me alcança
No turbilhão da tormenta.

Nesse cálice, com a alegria
Que em minha fé descansa,
Me embriago todo dia
No meu sonho, na lembrança…
E em suave letargia
Dormirei com a esperança!

Edmar Claudio

Ilustração de Norman Rokwell para o The Saturday Evening Post